Justiça Eleitoral determina que Eliza Virgínia retire vídeo de suas redes sociais em até 24 horas por possível desequilíbrio no pleito

A Justiça Eleitoral determinou a retirada de um vídeo da candidata Eliza Virgínia, publicado no último dia 6 de outubro em suas redes sociais, em que pede o cadastro de artistas em seu site para que obtenham mais informações sobre o auxílio emergencial destinado a quem vive da arte na Paraíba.

Eleições 2020


A Justiça Eleitoral determinou a retirada de um vídeo da candidata Eliza Virgínia, publicado no último dia 6 de outubro em suas redes sociais, em que pede o cadastro de artistas em seu site para que obtenham mais informações sobre o auxílio emergencial destinado a quem vive da arte na Paraíba. A decisão é do juiz José Geraldo Pontes, da 70ª Zona Eleitoral.  De acordo com o documento que o ClickPB teve acesso com exclusividade, o magistrado deu um prazo máximo de 24h para que ela retire o conteúdo tanto do Instagram como do Facebook. O conteúdo chegou a ter 82 interações e 46 comentários.

No vídeo em que o ClickPB teve acesso, a candidata dialoga com a seguinte narrativa: “Prestem atenção, verifique lá no meu site, faça um pré-cadastro, porque vamos estar passando todas as informações pra você não perder esse auxílio, nós precisamos agora entrar em campo gente, a cultura gospel também tá sendo reconhecida pelo governo federal, e agente precisa também usufruir, vá, passe lá no meu site, veja ai o endereço do nosso site, faça um pré-cadastro, que a gente vai tá fornecendo todas as informações necessárias, se Deus quiser a gente vai vencer essa, um abraço a todos", diz parte do vídeo que a candidata postou no último dia 6 de outubro em seus perfis no nstagram e Facebook .

A decisão é fruto de pedido feito pelo Partido Socialismo e Liberdade (Psol) que denunciou o vídeo “Cultura Gospel 5 milhões aprovados” postado pela candidata. O partido alega que a candidata "utilizou-se do projeto aprovado para captação ilícita de apoio amparada na estratégia da desinformação, em sinal inequívoco de abuso de poder político, por meio de propaganda ilegal, além de prática de conduta vedada", diz parte da justificativa usada pelo partido. 

Em caso de descumprimento, a candidata poderá pagar multa diária, no valor de R$ 1 mil até o limite total da importância de R$50 mil. 

Fonte: Emmanuela Leite

QR Code


Comentários


Aviso Legal: Qualquer texto publicado na internet através doVale do Piancó Notícias, não reflete a opinião deste site ou de seus autores e é de responsabilidade dos leitores que publicam.