'Problema é onde buscar dinheiro', diz Bolsonaro sobre Renda Cidadã

Programa que deverá substituir Bolsa Família segue sem fonte de recursos. Presidente já disse que não vai tirar dinheiro de pobres para os paupérrimos

Presidente Jair Bolsonaro


O presidente já disse que não vai tirar dinheiro dos pobres para repassar aos paupérrimos, uma referência à proposta de acabar com o abono salarial e o seguro-defeso para criar o novo programa social.

Nesta terça-feira, para apoiadores, o presidente disse esperar que não seja preciso um novo auxílio emergencial.

 Bolsonaro e equipe econômica querem viabilizar o programa Renda Cidadã

"Esperamos que não seja necessário. Eu espero que não seja necessário porque é sinal de que a economia vai pegar e não teremos novos confinamentos no Brasil. Desde o começo, nunca apoiei essa ideia do isolamento. Fui pelo isolamento vertical, mas, infelizmente, a decisão coube aos governadores e prefeitos", relembrou.

"Se não fosse toda aquela quantidade de auxílio que nós fizemos, entre eles, o emergencial, realmente, a economia tinha quebrado no Brasil. A gente espera que não seja necessário e que o vírus esteja, realmente, de partida do Brasil", declarou.

O auxílio emergencial termina em dezembro. No Congresso e dentro da discussão do Orçamento, são analisadas propostas para ampliar e remodelar o Bolsa Família e Criar o Renda Cidadã.

Fonte: Thiago Nolasco, da Record TV em Brasília

QR Code


Comentários


Aviso Legal: Qualquer texto publicado na internet através doVale do Piancó Notícias, não reflete a opinião deste site ou de seus autores e é de responsabilidade dos leitores que publicam.