Tudo sobre a morte de Gugu Liberato e a disputa pela herança50592

Gugu Liberato morreu aos 60 anos de idade, em 22 de novembro de 2019, após um acidente doméstico em sua residência em Orlando, na Flórida (EUA). 
 
O então apresentador da Record TV subiu no telhado para arrumar o ar-condicionado quando uma das estruturas de gesso se rompeu e o comunicador sofreu uma queda. 
 
Antes de atingir o chão, o famoso bateu a cabeça em três lugares e perdeu os sentidos. Liberato foi socorrido em poucos minutos, mas teve morte cerebral.
 
A partir daí, a imagem que o público de Gugu construiu ao longo de sua carreira ganhou uma série de desdobramentos. O primeiro, positivo. Pois o apresentador era a favor da doação de órgãos e com a sua morte ele pode beneficiar até 50 pessoas.
 
Porém, as glórias tiveram de dividir espaço com uma polêmica familiar: a divisão dos bens do milionário. Liberato deixou em testamento 75% de sua fortuna aos três filhos: João Augusto, de 18 anos, e as gêmeas Marina e Sofia, na época com 15 anos. Os outros 25% ficaram para os sobrinhos do apresentador, enquanto a mãe dele, Maria do Céu, recebe uma pensão mensal de R$100 mil.
 
Porém, Gugu não deixou nada para Rose Miriam di Matteo, com quem teve os três herdeiros. A médica teve direito apenas à mesada de R$40 mil que ele dava em vida para ela e uma mansão em Alphaville no valor de R$6 milhões. Foi aí que, em dezembro de 2019, menos de um mês após a morte do comunicador, uma briga judicial teve início, pois Rose queria provar na Justiça que tinha uma união estável com Liberato e, por isso, teria direito à herança. A médica também não concordava com o fato de a parte da herança que ficou para as gêmeas ser supervisionada por Aparecida Liberato, irmã de Gugu, até elas completarem 18 anos (em 2022), e não por ela, que é mãe das meninas.
 
No fim das contas, a médica ganhou na Justiça o direito de receber uma pensão no mesmo valor que a de Maria do Céu, após mostrar fotos em momentos de família com Gugu e os filhos.
 
A situação de Marina e Sofia, entretanto, ganhou um novo capítulo em maio, após as gêmeas pedirem a troca de advogados para entrarem na Justiça contra a tia. As gêmeas questionaram o paradeiro de bens do pai, como joias, quadros, relógios, pedras preciosas, além de dinheiro relacionado a seguro de vida e plano de previdência privada. Marina e Sofia foram derrotadas por Aparecida na Justiça e proibidas de contratarem novos profissionais para representarem seus interesses. Elas seguirão sob os cuidados da equipe jurídica da irmã do apresentador.
 
No mesmo mês surgiu na imprensa Thiago Salvático, suposto namorado de Gugu Liberato, que também quis comprovar união estável com o apresentador. O chef de cozinha afirmou que o apresentador sofria com o julgamento da sociedade por ser homossexual. “O maior sonho dele era viver essa relação sem preconceito por orientação sexual, viver o amor sem sofrer as consequências”, declarou ao Fantástico, da Globo.
 
Ele ainda afirmou que mantinha um relacionamento com Gugu desde 2011: “Minha relação com o Gugu foi baseada em muito amor, cumplicidade. Eu tenho muito orgulho de ter vivido”.
 
Na época em que Gugu morreu, nada sobre Salvático foi mencionado na imprensa. Porém, Thiago foi fotografado no velório do apresentador, em São Paulo (SP), e as fotos foram divulgadas assim que ele revelou o relacionamento com o veterano. Ele vive na Alemanha, é dono de duas sorveterias, e usa como provas de seu envolvimento com Gugu uma série de fotos dos dois viajando por diversos países.
 
O último capítulo desta novela da vida real foi revelado nesta quinta-feira, 28, quando Rose Miriam foi retirada da ação do inventário de Gugu Liberato por estar tumultuando a ação judicial.
 
Segundo o site da revista Veja, a juíza Eliane da Câmara Leite Ferreira anunciou no Diário Oficial de Justiça em 18 de maio que a decisão de tirar Rose do andamento do processo deve-se por uma série de questões. Uma delas é que Rose não tem comprovações de união estável com Gugu, mas sim, um acordo com o apresentador apenas para ter filhos e educá-los, sem nenhuma relação conjugal nem contato íntimo.
 
Além disso, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo cassou a liminar (decisão temporária) de primeira instância que determinava o pagamento de uma pensão mensal de R$ 100 mil à mãe dos filhos do apresentador.
 
Enquanto isso, a família de Gugu segue reafirmando que não falará sobre o caso à imprensa, visto que só podem comentar a respeito do assunto nos autos. Contudo, eles garantem que todo o patrimônio do apresentador está guardado, do jeito que ele deixou.

Fonte: catraca livre